Sabe como funcionam e para que servem os sprinklers?

Os sprinklers são mini “chuveiros” automáticos, colocados ao nível do teto ou cobertura dos edifícios, que ajudam a combater incêndios numa fase inicial, ou seja, controlam as chamas até à chegada da corporação de bombeiros sem a necessidade de intervenção humana.

Um sprinkler é constituído por:

  • Sistema de vedação.
  • Orifício calibrado de descarga;
  • Dispositivo de deteção;
  • Rosca de fixação;
  • Braços de suporte (corpo);
  • Deflector

Normalmente são instalados numa rede de sprinklers fixos que está interligada à reserva de agente extintor (tipicamente água). A água é garantida por um reservatório privativo do serviço de incêndio e de uma central de bombagem que devem estar ambos em conformidade o Regulamento Técnico de Segurança contra Incêndios em Edifícios (Portaria nº 1532/2008, de 29 de dezembro).

De que forma é que eles se acionam?

Então, destes fazem parte um elemento termo-sensível que é acionado ao atingir determinada temperatura – tipicamente 68 graus. Quando a alta temperatura é reconhecida, o elemento termo-sensível quebra e assim os sprinklers começam a funcionar, expelindo água em forma de aspersão (guarda-chuva) sobre uma determinada área.

Existem vários tipos de sistemas de sprinklers:

  • Sistemas húmidos
  • Sistemas de dilúvio
  • Sistemas de pré-ação

Uma grande vantagem deste sistema é que normalmente não permite falsos alarmes, ou seja, só é acionado quando a temperatura especificada no parágrafo anterior é atingida. Por isso, apesar de ser uma rede de sprinklers, só aqueles que estiverem expostos ao foco de incêndio libertam água, os restantes mantêm-se fechados.

Este sistema deve ser instalado com recurso a profissionais especializados que irão determinar a pressão da água, a área de projeção da mesma, e a temperatura indicada para um combate às chamas efetivo.

Só as empresas registadas na Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC) na área de instalação e manutenção de sistemas de extinção por água podem instalar sistemas de sprinklers.

O que pode ser uma ameaça para o bom funcionamento de um sistema de Sprinklers?

  • A existência de objetos a obstruir os sprinklers.
  • Os sprinklers terem sido danificados durante remodelações no edifício.
  • A válvula dos sistemas de alimentação estar fechada.
  • A reserva de água não ser suficiente para o espaço a proteger.
  • Os sistemas de pressurização estarem danificados/fora de serviço.

Deve-se ter em atenção também a manutenção do sistema pois a sua inexistência pode levar a coimas entre o 370 e os 3700€ para pessoas singulares e no caso das empresas varia entre os 370 e os 44000€. Segundo o regulamento técnico de SCIE, todos os equipamentos e sistemas de segurança contra incêndios existentes num edifício ou recinto necessitam de ser submetidos a manutenção periódica. Esta obrigatoriedade decorre, especificamente, das medidas de autoproteção.

O responsável de segurança (RS) do edifício deve assegurar a realização da manutenção e as inspeções periódicas ao sistema conforme EN 12845. Todas as intervenções feitas devem ser mencionadas nos registos de segurança das medidas de autoproteção.

A empresa Metaveiro é provida da Norma NP 4513, norma portuguesa, que tem como objetivo garantir a qualidade, segurança e competência técnica na prestação de serviços de instalação e manutenção de equipamentos e sistemas de segurança contra incêndios.

Estamos ao seu dispor