Como identificar o extintor correto para cada tipo de incêndio?

O extintor é o primeiro equipamento a ser utilizado no caso de incêndio pelos utilizadores do edifício por isso é de extrema importância que estes o saibam manusear.

Apesar de ser este o equipamento a ser utilizado em primeira instância, ele não é substituto de outros equipamentos como sprinklers ou até mesmo a chamada do corpo de bombeiros.

A METAVEIRO vai-lhe explicar como distinguir um extintor para determinado incêndio.

Tipos de Extintor: à base de água, CO2 e pó químico.

Os extintores são classificados de acordo com o agente que utilizam para extinguir o fogo. Cada um desses agentes é utilizado para um determinado foco de incêndio. Ao sabermos a natureza do material que é queimado, podemos escolher o método mais adequado para a sua extinção mais rápida e segura.

Classe A: incêndios com materiais fibrosos ou sólidos que deixam resíduos (cinzas/brasas). Podem ocorrer em materiais tais como papel, madeira, borracha, algodão, etc. O agente extintor mais indicado neste caso é a água, mas também é possível usar extintores de espuma ou pó químico ABC.

Classe B: incêndios em combustíveis líquidos ou gases que, normalmente, não deixam resíduos. Exemplo: óleo, gasolina, álcool, etc. Para extinguir incêndios desta classe utilizam-se extintores de pó químico, de água com aditivo ou de CO2.

Classe C: incêndios em equipamentos energizados, estes que provocam grande risco ao seu combate devido à eletricidade. Exemplo: eletrodomésticos, motores, interruptores, etc. Quando ocorrer um incêndio num destes materiais ou semelhante, devem-se usar extintores de pó químico e gases com poderes de extinção como o CO2.

Classe D: incêndios que resultam de combustão de metais como o magnésio, sódio ou zinco, entre outros. Estes materiais dificultam a sua extinção por provocarem uma reação em cadeira durante a sua combustão. Neste caso, deve ser utilizado pó químico à base de grafite e NUNCA água.

Classe F: incêndios que envolvem produtos para cozinhar alimentos como óleos e gorduras vegetais. Neste tipo de incêndios deve-se evitar, ao máximo, apagar com água e, em vez disso, utilizar o agente químico húmido (extintor classe F).

Tipos de Extintores

Sabe como deve utilizar o extintor?

Primeiramente deve retirar a cavilha de segurança, depois apontar o jato para a base das chamas e depois pressionar o manípulo para que seja expelido o conteúdo do extintor.

É importante saber que este equipamento é conhecido como o melhor amigo do homem em princípios de incêndio.

O local do seu extintor também é importante!

Saiba que o extintor deve estar bem visível e em locais junto de entradas com maior circulação.

Mas não basta colocá-lo lá e abandoná-lo! É preciso ter em conta que, por lei, este equipamento precisa de manutenção… anual e obrigatória ou sempre que este for utilizado!

No fim de cada manutenção, dirija-se ao extintor e verifica a etiqueta. Os técnicos deverão ter colocado informações referentes ao ano e mês em que o extintor foi carregado, o da última revisão e o da próxima manutenção.

Não se esqueça que a lei obriga a que, a cada 5 anos, os extintores de água ou de pó químico precisam de ser recarregados. O mesmo acontece para os extintores de CO2 mas com um intervalo de 10 em 10 anos.

Quer adquirir um extintor e não sabe como?

Contacte a Metaveiro, empresa especializada e registada para desempenho deste tipo de atividade na ANEPC (Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil). Com a nossa ajuda poderá adquirir um extintor com marca CE.